Etiquetas

, , , ,

Mosteiro de Paço de Sousa

Mosteiro de Paço de Sousa

Que ninguém pense que é capaz de visitar os mosteiros, pontes, castelos que formam a Rota do Românico num só dia. Em 6 dias talvez, se ficar uma noite em cada dois dos 12 concelhos que integram o território do Tâmega e Sousa. Qual deles o mais bonito: Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende.
Ficando 3 dias em Penafiel é capaz de ter tempo de visitar e registar em foto ou vídeo os edifícios estilo românico de Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Marco de Canavezes e ter ainda cerca de 2 horas disponíveis para visitar a Quinta da Aveleda, se é apreciador de bom vinho verde, aguardentes, queijos e compotas, tudo produzido na quinta há mais de 200 anos, rodeada por belos jardins com lagos e florestas que controlam e preservam as vinhas de ventos agrestes.
Se, como eu, prefere a simpatia ao serviço de luxo; o ambiente familiar ao ambiente informal de hotel, a sua escolha para passar 2 ou 3 noites recai na Casa “Bolinhos de Amor” em São Martinho de Recezinhos, a 12 Km de Penafiel. Bolinhos
Fachada da Casa Bolinhos de Amor. O parque fica na rectaguarda

De realçar a comodidade de possuir um parque de estacionamento exclusivo aos hóspedes; não ter de saír para jantar; o conforto do ar condicionado, TV e telefone em cada quarto, a Casa Bolinhos de Amor, toda construída em pedra, onde predominam as madeiras, é uma Unidade de Alojamento por quem o Gabriel ou a sua mulher Sónia dão a face com a simpatia no acolhimento dos seus clientes.
Para a categoria, conforto e serviço, o preço praticado é, quanto a mim, um preço justo.
Não espere encontrar uma extensa lista de vinhos ou grande ementa. Mas o que há é tudo caseiro, onde não falta a broa de milho e o vinho verde servido em jarro.
Do outro lado da estrada nº 15, numa casa também em pedra está a mãe do Gabriel que comercializa o doce que dá o nome: “Bolinhos de Amor” e onde se pode beber um cafèzinho servido em mesa coberta com toalhas de linho bordadas à mão.

Jardins românticos e recantos encantadores da Quinta da Aveleda

Jardins românticos e recantos encantadores da Quinta da Aveleda

Passando por Entre-os-Rios, Castelo de Paiva, chegamos a Arouca onde nos podemos deliciar com uma posta de vitela Arouquesa e outros sabores gastronómicos no Restaurante Assembleia ou no Restaurante Parlamento mesmo junto ao Geoparque.
A visita a esta bonita terra merece um final enriquecedor; no meu caso de memórias; entrei no antigo Colégio Salesiano onde estudei dos 12 aos 14 anos, em regime de internato que funcionou até há uns 20 anos atrás no Convento fundado pela Beata Mafalda, filha de D. Sancho I, que aí se recolheu a seguir à anulação do seu casamento com D. Henrique de Espanha por causa dos laços de família. O Convento com o seu nome acolheu, por seu intermédio, a Ordem de Cister que aí se manteve até à exinção das Ordens Religiosas (neste caso até à morte da última freira na primeira metade do século XIX).
Numa visita ao Museu de Arte Sacra é contada toda a história do Convento, mostradas riquíssimas imagens e relicários, salas, salões, cadeiras e cadeirões únicos no mundo, como a Sala do Capítulo e o Órgão de 1743, totalmente restaurado em 2009, caracterizado por ter 1352 tubos, regulados por 24 registos.
A não perder.

Convento de Santa Mafalda onde está instalado o antigo Colégio Salesiano e o Museu de Arte Sacra

Convento de Santa Mafalda onde está instalado o antigo Colégio Salesiano e o Museu de Arte Sacra

Escadaria de acesso à Zona Nobre do antigo Colégio Salesiano, no Convento de Santa Mafalda

Escadaria de acesso à Zona Nobre do antigo Colégio Salesiano, no Convento de Santa Mafalda

Anúncios