Etiquetas

, ,

Onde poderia eu visitar tudo isto, senão em Murça?
* Zona Histórica da Vila de Murça; * A Via Romana e a Ponte Velha Filipina; * O Crasto de Palheiros e o seu Centro Interpretativo; * Rio Tinhela; * Subida das margens a partir da praia fluvial de Rebelos; * Fontes de Mergulho;

* Relógios de Sol; * Caves de Murça e muito mais, especialmente se pudermos petiscar, saborear uns toucinhos do céu, provar bons vinhos do Douro.
A FAV – Feira do Azeite e do Vinho de Murça que em 2015 celebra a sua 11.ª edição já têm data marcada.
Inicia-se a 8 de Maio, Feriado Municipal em Murça, data comemorativa do 1.º foral de Murça atribuído por El Rei D. Sancho II a 8 de Maio de 1224. Termina no dia 10.

Potencialidades

Murça é uma terra de contrastes, entre a zona Norte, cravada de encostas e penhascos, e a zona Sul, repleta de vinhas e olivais. O património encontra-se distribuído pelas sete freguesias, sendo a Porca de Murça, escultura representante de uma divindade do povo celta, o seu expoente máximo.
A origem do concelho de Murça remonta as épocas longínquas, que antecedem a formação de Portugal, o que explica os vários vestígios encontrados, originários de povos celtas, romanos, suevos e árabes, espalhados por nove freguesias. Contudo, só em 1224 é que Murça recebeu uma carta de foral, a mando do rei D. Sancho II (1209-1248).
Quem visitar Murça não pode deixar de prova mel e o queijo de cabra produzidos na região. Os maravilhosos enchidos resultam da matança do porco, tradição que ainda se pratica no concelho.
Perspectivando o turismo, não apenas como lazer, mas como um forma de cultura, podemos afirmar que existem nestas terras os condimentos indispensáveis para que o visitante possa simultaneamente deleitar-se e enriquecer a sua capacidade de absorção dos valores etnográfico-culturais aqui existentes.

Anúncios